Buscar
  • marianacarvalhong

O avanço da inteligência de dados e sua importância para a formação de políticas públicas


A era da informação rápida em que milhões de dados são gerados em frações de segundo, pelos mais diversos meios de interação e comunicação, são entregues como ferramentas cada vez mais importantes para o desenho, formulação, implementação e análises de políticas públicas, bem como defesa de interesses e estratégias corporativa, dados políticos estão cada vez mais necessários em uma atmosfera em que o consumo na rede mundial de computador só se expande, sendo humanamente impossível de acompanhar, verificar e trabalhar todas as informações.

Nesse ambiente de inovação a inteligência de dados é um processo de organizar informações e integrá-las a um sistema (software) capaz de analisar e interpretar essas informações, contribuindo para uma tomada de decisão, gerando valor ou conhecimento. Para as políticas públicas dados estatísticos e indicadores sociais são bem elaborados por instituições como IBGE e IPEA, sendo base fundamental para a elaboração das mesmas.

Para a defesa de interesses não é diferente, diariamente são públicas tramitações das casas legislativas, Diários Oficiais, regulamentos, discursos, notas técnicas dos três âmbitos federativos e nas três esferas de poder, dessa forma as inovações da inteligência de dados vêm contribuindo para as estratégias de inteligência política, exemplos dessas ferramentas seriam, os robôs que mapeiam proposições legislativas, agendas parlamentares, hashtags, e automatizam a rotina de monitoramento de ações do governo.

A SigaLei, uma das apoiadoras do Lobby Social, é uma plataforma que juntamente com um framework, auxilia na construção dessas estratégias, engajados com a criação de inteligência política e soluções nas análises de cenário, a intenção é trazer ganhos para as análises críticas, vantagens competitivas e não a perda de produtividade ao processar dados manualmente.

A tendência é o avanço e a lapidação da inteligência política, a sociedade, os atores sociais, estão cada vez mais se vendo como atores políticos, provedores de transformação, ter acesso a estas plataformas automatizadas só agrega a soluções de problemas da análise final, de impactos e/ou possibilidades.

Se interessou pelo assunto? Separamos alguns artigos sobre a temática produzidas pelo Blog da SigaLei. Confere lá!

Dados, Informação e Tecnologia em Relações Governamentais.

O novo lobista da equipe: o robô.

Inteligência Política não é previsão do tempo: "será que vai chover?".


4 visualizações0 comentário